Maria do Rosário Pedreira

A poetisa Maria do Rosário Pedreira venceu o Prémio Literário Fundação Inês de Castro 2012, pelo livro Poesia Reunida, publicado em Setembro passado, anunciou hoje esta instituição.

O Prémio Literário Fundação Inês de Castro distingue anualmente obras literárias sobre motivos do “mito inesiano”.

O júri do galardão foi composto pelo catedrático de Letras José Carlos Seabra (presidente), o escritor Mário Cláudio, o poeta e ensaísta Fernando Guimarães, o tradutor e poeta Frederico Lourenço, e o escritor e crítico literário Pedro Mexia.

A obra Poesia Reunida, publicada pela Quetzal, integra as obras já publicadas por Maria do Rosário Pedreira, nomeadamente, A Casa e o Cheiro dos Livros (1996), O Canto do Vento nos Ciprestes (2001) e Nenhum Nome Depois (2004), a que se juntou o inédito A Ideia do Fim.

O júri do prémio decidiu ainda distinguir a obra de Almeida Faria com o Tributo de Consagração Fundação Inês de Castro 2012. Para além de romancista, Almeida Faria é autor de ensaios, contos e peças de teatro. Mais recentemente publicou, a partir de um conto seu, o libreto para a cantata de Luís Tinoco Os Passeios do Sonhador Solitário; e o Murmúrio do Mundo, relato ensaístico de uma viagem à Índia.

Esta é a sexta edição deste prémio anual e nas suas anteriores edições foram distinguidos Pedro Tamen, pelos poemas de Analogia e Dedos (2006), Teolinda Gersão, pelo volume de contos A Mulher Que Prendeu a Chuva e Outras Histórias (2007), José Tolentino de Mendonça pelo livro O Viajante sem Sono (2009), Hélia Correia pelo livro Adoecer (2010) e Gonçalo M. Tavares pelo livro Uma Viagem à Índia (2011).

O galardão é constituído por um troféu desenhado pelo escultor João Cutileiro, uma estadia de oito dias na Quinta das Lágrimas, em Coimbra, onde viveu Inês de Castro, e por “um valor pecuniário simbólico”, disse à Lusa a secretária-geral da fundação, Teresa Costa Neves.

A cerimónia de entrega do prémio terá lugar na Quinta das Lágrimas, no dia 2 de Março.

 

LUSA e PÚBLICO       18/01/2013 – 14:55

 

Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas

 

 

 

“Integração, Acesso e Valor Social” é a temática do 11º Congresso Nacional de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas que se inicia hoje na Fundação Calouste Gulbenkian.

O congresso apresenta-se como um espaço de reflexão e debate sobre o presente e o futuro das bibliotecas e arquivos face a um contexto de condicionalismos e exigências que desafiam conceitos, meios e soluções.

As Bibliotecas Escolares estão representadas nos painéis: Tecnologias ao serviço dos utilizadores, Valor social das bibliotecas e Profissionais e instituições.

O programa inclui visitas técnicas, pré-congresso, a várias bibliotecas e arquivos.

As Bibliotecas Escolares que irão receber os congressistas são:

  • Escola Secundaria Rainha Dona Leonor
  • Escola Básica 2 3 dos Olivais